[ editar artigo]

Como preparar o crescimento das Startups com Governança Corporativa

Como preparar o crescimento das Startups com Governança Corporativa

Desde o início da operação Lava Jato, em 2014, o tema Governança Corporativa ganhou uma importância bem maior nas empresas. Infelizmente por trazer ao conhecimento público os descalabros vividos nas empresas estatais, muito evidenciando no caso Petrobras.                                                 

Porém, Governança Corporativa também tem um papel importante nas startups, mas ainda é bem pouco utilizado.

Vejo que definir claramente as regras do jogo já no início da operação pode evitar muitos aborrecimentos futuros, como desentendimentos entre os sócios - atualmente, uma das maiores causas de fracasso de startups.

Além disso, é fundamental determinar os princípios éticos da nova empresa, como transparência das informações, equidade, prestação de contas e responsabilidade corporativa. Não precisa ser nada muito complexo. Estruturar o MOU - Memorandum of Understanding - e, na sequência, fazer um acordo formal entre os sócios que estabeleça as regras para futuros aportes, retiradas, drag e tag along e valuation, entre outras, já são um belo começo.

Depois disso, a lista fica um pouco mais longa, mas possui ações determinantes para o sucesso do negócio. Então, regras para captação de novos investimentos, diluição de participação, direito a voto e deliberações sociais e, dos benefícios naturais de melhores controles, aumento da eficiência e rentabilidade da operação, também ajudarão a criar um ambiente muito mais propício para captação de novos investimentos, junto a fundos de venture capital ou private equity.

Agradeço sua leitura e conto com suas contribuições!

Até o próximo!

Governança & Nova Economia
Ler matéria completa
Indicados para você